Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘REPRISE 2010’ Category

Vou dormir. Acho que está na hora, não?! 23.15

Passei o domingo de olho por aqui. Cogitei escrever alguma coisa relevante. Desencanei. A única coisa que me ocorre falar neste momento é que esse BLOG me agrada um bocado.

E ele só existe porque é para VOCÊ que eu escrevo.

Portanto…continuemos juntos.

TODO O CARINHO. 

santana

Anúncios

Read Full Post »

Quando postei a respeito da minha personagem que inspirou o HUMANUM EST , dona Laurinha Gouveia e Gouveia, no dia 22 de outubro, me disse que, enquanto eu durmo, ele faz aflorar o que normalmente não deixa transparecer.

Quando leio qualquer comentário de TIUXCA, sinto que valeu fazer aquela postagem.

JORGE e LUIS me credenciam. Quando Jorge considera razoável, acho de bom tamanho. Fico me achando.

No dia 06 de junho, SORAYA, para ilustrar um momento especial, declarou: O momento em que reconheci o meu amor da vida inteira subindo a mesma escada que eu descia. O tempo parou.

SEGREDINHO é fundamental.
  

Read Full Post »

Com nosso BENTO

Silvinha o chama de  ‘CÃO-DETODAS-AS-HORAS’. É fato.

Read Full Post »

Olha o que fazia Silvinha no dia 26 de maio passado:

Hoje ouvi várias vezes uma música cuja letra deixo abaixo, que traduz meu sentimento:

“A amizade sincera é um santo remédio,
um abrigo seguro.
É natural da amizade,
o abraço, o aperto de mão, o sorriso…
Por isso se for preciso,
conte comigo,
amigo, disponha!
Lembre-se sempre
que mesmo modesta,
minha casa será sempre sua,
Amigo…
Os verdadeiros amigos,
do peito, de fé, os melhores amigos,
não trazem dentro da boca
palavras fingidas ou falsas histórias.
Sabem entender o silêncio
e manter a presença
mesmo quando ausentes.
Por isso mesmo apesar de tão raros
não há nada melhor
do que um grande amigo,
Amigo, amigo!
Por isso se for preciso,
conte comigo, amigo, disponha!
lembre-se sempre que mesmo modesta,
minha casa será sempre sua,
AMIGO…”

Read Full Post »

No dia 14 de maio, em função de uma poesia que postei da CECÍLIA MEIRELES, Dominguinhos escreveu:

‘Aplausos… Aplausos… Aplausos…
Cada dia que nos reencontramos no Blog é uma oportunidade de nos sentirmos, também, poetas e assumirmos a fantasia.
Acredito que se Cecília pudesse conosco privar, até mudaria o rumo de sua atitude em “Timidez” e… faria o gesto, diria a palavra e merecidamente não se acabaria nunca…

TIMIDEZ

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve.

– mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes…

-palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,

– que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
noa ares certos do tempo,
até não se sabe quando…

-e um dia acabarei’.

Read Full Post »

Falei em LYGIA e me lembrei deste seu conto. Acho primoroso. (Publicado aqui no dia 15/01/2010)

– Fui me confessar ao mar
– E o que ele disse?
– NADA.

Read Full Post »

NOSSO BLOG COMEMORA HOJE UM ANO.

Aqui, a postagem do dia 06/12/2009, a segunda. A primeira, do dia 05, foi aquele poema da LUA (Em todo céu uma lua…) que trouxe de volta, um dia desses, nas reprises.

Lembra que no começo ele se chamava PESSOA?

Retorno daqui a pouco.

‘Nunca havia pensado efetivamente em criar um blog; nas poucas vezes em que cogitei, esbarrei mediatamente na questão da utilidade. Que teria eu a dizer assim, a céu aberto, que pudesse justificar a empreitada?!

Sempre tive alguma espécie de diário. Íntimo e pessoal. Há um ano abri um arquivo, aqui no computador, que veio ocupar o lugar destes diários a bico de pena, e ao qual intitulei Barrigão e Tanquinho. Nele registro minhas experiências gastronômicas cotidianas. Às vezes alimentando ao Barrigão – afeito a molhos, sorvetes, cervejas e churrascos – outras vezes lustrando Tanquinho – sempre ligado na contemporânea circunferência abdominal; um jovem saudável. É divertido e estimulante. Para mim, unicamente.

Há menos tempo criei outro arquivo, Pessoa, onde faço anotações sobre assuntos que me interessam, geralmente ligados à arte, à literatura, assuntos acadêmicos, sugestões de leitura, palavras desconhecidas, coisas assim. Foi deste que emprestei o nome para este blog, uma vez decidido encará-lo.

Pessoa, em homenagem a meu escritor preferido, este português multifacetado. Ele é tantos que me faz pensar que há sempre um Pessoa para cada escaninho da alma. Ao mesmo tempo que esta palavra me sugere o que há de mais substantivo, em tempos sufocados por adjetivos ineptos. Pessoa. E o que é humano me concerne. O que é criatura me diz respeito.

Devaneei à procura da resposta para a existência deste blog. Sequer me aproximei. Deixemos como está, por enquanto. Quem sabe o tempo…

Ocorre-me Lygia Fagundes Telles: não precisa compreender, basta gostar. E a multiplicidade do Pessoa (e das pessoas) me encanta sempre. Façamos girar o caleidoscópio.

Até logo mais!’

Read Full Post »

Older Posts »